martes, 7 de marzo de 2017


Como um Coração

Como um coração.

Rasgo e degluto,
Rompo e o destroço
Em pequenos pedaços
E porções.

E partilho
Alguns sentimentos,
Algumas coagulaçōes.

Com gula digiro
E dirijo coágulos
Que alguma vez
Foram nutrientes e
Que entre os meus dentes
Encontraram um fim.

Com um coração partido
E partilhado enfim,
Aquele mundo passou a um
Silêncio sepultado
Dentro de mim.

Anseio por um coração alheio,
outro que, como aquele,
Seja comível e
Preencha um oco em comoção.

E seja músculo,
Como um coração.
.

Buenos Aires, 07/03/17

No hay comentarios.: